Por que as mulheres não sentam no vaso?

7 d e janeiro d e 2011

Todas as vezes que vou a um banheiro público me vem este incômodo. Ou o assento da privada está respingado, ou tem marcas de sapato, ou tem restos de papel higiênico colado. Tudo fruto das peripécias que nós mulheres praticamos com medo de encostar no vaso e pegar uma doença horrível.

Então fico pensando que este é um problema cultural que pode ser resolvido se a primeira mulher que usar o banheiro, sentar.

Quando a gente sente no vaso, encostamos a pele das coxas e da bunda e NENHUMA mucosa, ou seja, a chance de pegar uma doença sentando no vaso deve ser parecida com a chance de ganhar na mega sena da virada. Na praia com biquínis fio dental a gente não senta em todos os lugares? O principio é o mesmo.

Além disso, se a primeira mulher sentar e todas as demais fizerem isso, nunca haverá respingos, marcas de sapatos, coisas estranhas, grudadas nas bordas e todas poderemos sentar para fazer xixi felizes para sempre, o banheiro ficará mais limpo do que é hoje.

Afinal de contas, o que te faz confiar na bunda e nas coxas dos conhecidos, ou dos desconhecidos da praia, ou do seu trabalho? Tá tudo na nossa cabeça.

Anúncios

Para perder o medo de avião

7 d e janeiro d e 2011

Tripulação preparar para decolagem.

Basta ouvir este aviso que já começo a me despedir da vida.
Poxa, acho que as fábricas que constroem avião, junto com os seus arquitetos e designers não tem a menor consideração pelo medo dos outros.

O avião projetado por mim seria uma cápsula fechada, sem janelas, envolta por uma oura cápsula. Entre estas duas cápsulas haveria uma zona de vácuo, que faria com que os labirintos dos passageiros sempre se mantivessem em posição horizontal, mesmo que o avião estivesse rodando 360 graus.

Teria um som ambiente com uma altura suficiente para impedir que ouvíssemos os barulhos estranhos de flaps, trens de pouso ou simplesmente “tripulação, preparar para pouso”.

As aeromoças usariam máscaras para que a gente parasse de tentar buscar um fio de vida em suas linhas de expressão a cada turbulência.

Bom, também não ligaria se servissem um bom vinho tinto e todos os destinos fossem Paris, ou a queda.

Trânsito na Índia – Caos ou ordem?

8 d e março d e 2009

E aí, a gente é muito organizado? Ou eles é que são?
Sandrinha, prá você!

Educação

4 d e março d e 2009

Se tiverem 20 minutos para ouvir um bom comentário sobre educação, os 2 vídeos já dizem tudo.

Gás Carbônico + Metano = Água, Água, Carbono, Carbono.

2 d e março d e 2009

aquecimento-globalQue me corrijam os químicos, por que escrevo para ter dúvidas e não para ter certezas, mas Metano e Gás Carbônico são os vilões da vez nesta história de aquecimento global. Químicos, me respondam…..por que eu, leiga desse jeito não consigo continuar com esta dúvida.

Se fosse feito um cálculo da quantidade média destes poluentes que um ser humano médio-médio – por que é de média que a ciência vive – produz por dia e chegássemos em um valor X.

Então fizéssemos outro estudo médio-médio da possibilidade de criar um filtro de ar (não me venham com Usinas certo?) pequeno, para cada residência, estabelecimento comercial, edifício empresarial, veículos, capaz de quebrar as moléculas de Metano e Carbono, e transformá-las em Água, Água, Carbono, Carbono como a fórmula da figura, acabaríamos com o aquecimento global?

Ao Presidente da Colômbia

28 d e fevereiro d e 2009

colombiaCaro Amigo,

O seu país, tem um produto capaz de movimentar frenéticamente a sua economia.

Não sei, meu amigo, se você tem a noção da quantidade de dinheiro e morte que o seu produto gera hoje no mundo, mas acredito que você tenha uma breve noção. A culpa não é do seu país, estas mortes e esse dinheiro não passam pela economia Colombiana, elas são transportadas em containers e aviões legais-corrompidos por todo o mundo. Os produtores da Colombia ganham dinheiro com a produção, os beneficiadores ganham com a manufatura, os refinadores ganham com o controle de qualidade, os transportadores ganham com a distribuição atacadista, os fiscais e agentes fronteiriços ganham com a cegueira, assim, o seu produto entra nos países acompanhado por corrupção, dinheiro e mortes.

O seu produto, caro amigo, é distribuído por um comércio organizado nos países. Cidadãos mísero-comuns o vende a cidadãos capital-comuns, que o consomem em busca de respostas, revoltas, felicidade, cura.

O seu produto é fantástico, os cidadãos capital-comuns, os consomem por todo o mundo e alimentam o esquema de produção do seu país.

Caro amigo. Vamos fazer o seu produto deixar de ser um in-commodity para virar um commodity?

Abraçe a sua produção nacional, assuma a sua cultura agrícola, venda um produto 100% Colombiano. Assumindo a sua produção, e vendendo-o legalmente, para os países consumidores, a sua economia melhora, a indústria nacional se alavanca, o comércio exterior também. É proibido, eu sei, mas todo mundo finge que não vê. Torne o fantasma visível aos olhos, exclua a corrupção e a morte, gere empregos e combata a miséria.

Venda um produto sem tiros. Se os grandões começarem a reagir, feche as portas da produção e veja se os grandões terão coragem de destruir famílias Colombianas para reivindicar que você continue vendendo o seu produto ilegalmente.

Estou contigo caro amigo!

Como reagimos ao diferente

26 d e fevereiro d e 2009

Esse vídeo mostra muito a forma como reagimos ao diferente, ao novo. E dá um bom exemplo do que acontece quando rompemos a normose, e damos chance ao diferente. Mas o grande desafio é tentar romper com isso, sem haver um bode expiatório, ou um super-herói (com ou sem hífen?) e sermos nós mesmos os encorajados a conviver com o diferente.

Equilíbrio e Conexão

11 d e fevereiro d e 2009

Conectados, buscando um equilíbrio não um equilíbrio com pesos e medidas, um equilíbrio entre as coisas, todas as que existem e as que não existem também.